A capacidade que nós temos de enfrentar situações adversas, às vezes até constrangedoras, é enorme e a todo instante estamos sendo testados.

Certos rituais são complicados de serem efetuados, como é o caso do pedido de aumento salarial.

“Cara de pau”? Talvez! Mas na verdade muitas vezes é a forma que temos para reivindicar uma valorização em nosso meio. É o reconhecimento finaneiro por parte dos chefes e da empresa.

A situação econômica das famílias brasileiras melhorou em uma escala tão grande que hoje a classe média tem acesso a diversos produtos e serviços que não tinha antigamente. É cada vez mais comum as pessoas com menor poder aquisitivo terem geladeira, microondas e televisão de tela plana em casa.

É difícil manter um bom relacionamento na empresa, entre patrão e empregado.

Não são necessários planos mirabolantes, reivindicações que envolvam greves, manifestações agressivas ou outras formas arredias, para pedir um aumento de salário. Na maioria das vezes, uma conversa franca do assalariado com o empregador é a melhor maneira para se obter o que deseja.

Outros fatores que são importantes, quando tratamos de aumento salarial, são os salários indiretos dos funcionários, ou seja, aqueles que auxiliam o pagamento por parte das empresas.

No trabalho doméstico, o empregado também deve ficar atento e levar em consideração vários fatores, além de conhecer os seus direitos.

Entenda qual é a hora certa, de fazer a solicitação, quais são as dicas de como iniciar uma conversa com seu chefe e outras importantes informações a respeito de aumento salarial.