A capacidade que nós temos de enfrentar situações adversas, às vezes até constrangedoras, é enorme e a todo instante estamos sendo testados.

Certos rituais são complicados de serem efetuados, como é o caso do pedido de aumento salarial.

“Cara de pau”? Talvez! Mas na verdade muitas vezes é a forma que temos para reivindicar uma valorização em nosso meio. É o reconhecimento finaneiro por parte dos chefes e da empresa.

A situação econômica das famílias brasileiras melhorou em uma escala tão grande que hoje a classe média tem acesso a diversos produtos e serviços que não tinha antigamente. É cada vez mais comum as pessoas com menor poder aquisitivo terem geladeira, microondas e televisão de tela plana em casa.

É difícil manter um bom relacionamento na empresa, entre patrão e empregado.

Não são necessários planos mirabolantes, reivindicações que envolvam greves, manifestações agressivas ou outras formas arredias, para pedir um aumento de salário. Na maioria das vezes, uma conversa franca do assalariado com o empregador é a melhor maneira para se obter o que deseja.

Outros fatores que são importantes, quando tratamos de aumento salarial, são os salários indiretos dos funcionários, ou seja, aqueles que auxiliam o pagamento por parte das empresas.

No trabalho doméstico, o empregado também deve ficar atento e levar em consideração vários fatores, além de conhecer os seus direitos. Entenda qual é a hora certa, de fazer a solicitação, quais são as dicas de como iniciar uma conversa com seu chefe e outras importantes informações a respeito de aumento salarial.

Pedir Aumento

Criança pedindo dinheiroQuando se visa o lucro, alguns dilemas começam a aparecer em nossas cabeças. Semelhantes a algumas perguntas feitas por empresários, como por exemplo: como lucrar com os clientes? Conseguir um aumento salarial é a questão: não fazemos ideia de como iniciar uma negociação com nossos patrões e empregados sobre aumento salarial.

Algumas dicas podem ser muito úteis para você, que é chefe, na hora de presenciar tal situação e, claro, para você que é empregado, encarar seu chefe e questioná-lo.

É importante separar qualquer assunto de natureza pessoal, como o orçamento da casa, colégio das crianças, empréstimos bancários, antes de pedir um aumento de salário. Primeiro: um pedido desse tipo, acompanhado de drama particular, nunca é a melhor alternativa, pois geralmente essa é a desculpa mais utilizada pelos funcionários e às vezes pode não ser compreendida pelo seu chefe.

Outro aspecto que também deve ser observado é evitar que a conversa aconteça sem programação.

Não há motivos para que o trabalhador, a qualquer hora, queira conversar a respeito de seu salário com seu chefe e vice-versa. Um funcionário jamais deve convocar seu superior ou encarregado para esse tipo de conversa na frente de outros colegas, pois poderá parecer uma tentativa de coação ou movimento sindical. Caso o pedido de aumento seja para todos, a conversa também deve ser com todos.

Para os chefes e empresários, a dica é sempre contar a verdade aos funcionários e nunca usar desculpas infundadas quando não for possível conceder o aumento de salário. A Mentira é algo extremamente desagradável e uma hora ou outra, alguém ficará sabendo o que realmente houve e sua liderança será posta em cheque.

Mas qual será a hora certa para conceder um aumento?

Um momento exato para se pedir um aumento salarial, às vezes, é complicado de se imaginar; porém, podemos ponderar algumas situações e perceber certos momentos. É importante verificar qual é a parcela de participação do funcionário na evolução da empresa e analisar, de forma clara, os últimos relatórios e constatar tal evolução.

Pagar um funcionário pelo que ele realmente vale é uma alternativa sugerida no mundo empresarial. Alguns administradores pensam dessa forma e costumam afirmar isso.

A dica é não tentar agradar muito as pessoas. Mas queiramos ou não, isto reflete o pensamento de muitos empresários: fazer corretamente as tarefas pertinentes ao seu cargo é apenas a obrigação de todo bom profissional.

Para fazer jus ao aumento de salário, é necessário que uma pessoa não apenas execute bem as tarefas sob sua responsabilidade. É preciso que ela agregue valor à empresa, que contribua não só pela sua sobrevivência, mas também a da empresa onde trabalha.

Salários indiretos: por que alguns não valorizam?

Um erro que ocorre com muita frequencia é quando o funcionário quer comparar o seu salário com o de outros funcionários. Porém, o que muitas vezes esquecemos, é que financeiramente, os benefícios indiretos que recedemos, como: vale-transporte, vale-refeição e cestas básicas, são certas vezes superiores ao salário líquido de outro funcionário.

Em relação ao 'salário indireto', entende-se por tudo aquilo que a empresa fornece, além da obrigação trabalhista.

Assim, a cesta básica distribuída no final do mês, o plano de saúde ou as famosas premiações de fim de ano nada mais são do que uma opção da empresa em dar uma contrapartida aos seus funcionários pelo bom desempenho.

Um funcionário deve saber que, ao comparar os benefícios materiais que a sua empresa oferece com o salário dos outros funcionários, ele precisa tomar muito cuidado e deve procurar analisar as perspectivas de crescimento e estabilidade da empresa onde trabalha. Assim ele evita se deixar levar por um salário maior em outra empresa sem a estabilidade necessária.

Perca a vergonha, peça aumento!

Existem melindres nos relacionamentos que dificilmente podem ser eliminados. O momento de pedir o aumento é um deles. Geralmente os chefes apenas observarão seu bom desempenho e nada farão, pois para eles tudo sempre está na mais perfeita ordem.

Veja este exemplo de como iniciar a solicitação de aumento salarial: o funcionário inicia o denominado 'ritual da mordida', ou seja, o processo de pedido de aumento, com pequenas atitudes ou falas indiretas e comportamentais (como deixar contas a pagar sobre a mesa) ou então, pode utilizar indiretas verbais como comentários sobre o aumento da cesta básica, da escola das crianças, e outros gastos que possam ter aumentado.

Nesse primeiro contato, o empregador tentará diminuir ao máximo o impacto do pedido e o funcionário tentará aumentar as suas chances de sucesso. Não há uma hora exata para se pedir um aumento; entretanto, a dica é tentar observar a situação pelo efeito reverso, ou seja, pelo menos se deve evitar a hora mais propícia para o insucesso.

Em certos momentos, temos que ter a noção de que, se para nós é um dia bom para pedirmos um aumento, também pode ser um dia péssimo para o seu chefe ouvir isso de você. Nesse caso, claro que a resposta mais simples para ele será um 'não'.

Pedir um aumento não significa constranger; então ,não faça com que seu chefe se sinta constrangido a te dar um aumento. Muitas vezes uma situação inesperada, como uma demissão, pode acontecer.

Outra importante dica: reveja todos os argumentos que pretende utilizar para justificar o aumento salarial.

Lembre-se de que, em algumas empresas, é comum um mau profissional estar munido de bons argumentos e conseguir o que deseja, enquanto que bons profissionais, carentes dos argumentos certos, acabarem ficando para trás.

Ganhar Bem

Como um profissional pode avaliar se está ganhando um salário adequado?

Hoje, devemos analisar como está o mercado de trabalho. Não é difícil encontrar funcionários que sempre procuram acompanhar a vida profissional de colegas bem sucedidos.

As comparações que são feitas, infelizmente, são sempre com pessoas que estão em situação melhor que a sua.

O pensamento que muitas vezes atrapalha as pessoas é este: se tivesse a oportunidade de trabalhar em uma empresa maior, quem sabe não obteria um maior sucesso e, assim, um salário maior.

É comum ouvirmos algum colega contando vantagem, exagerando e se vangloriando que está na melhor empresa do mundo para trabalhar e que seu salário é sempre alto. Esse tipo de coisa que devemos ignorar, pois profissionais que escutam pessoas como essa, nunca vão estar satisfeitos no local onde trabalham e a sensação de não ganhar o que merece sempre será a mesma.

Uma sugestão dada a você para que avalie se está ganhando bem na função que exerce dentro da empresa é fazer uma simulação como estivesse procurando emprego. Analise quanto realmente você poderia ganhar ao conseguir um novo emprego e compare com o seu salário atual e também com o de pessoas que trabalham no mesmo setor que você.

O ideal é a pessoa não se precipitar e não arranjar problemas no trabalho. É importante visar sempre uma melhor qualificação, pois com o tempo, seu esforço poderá ser reconhecido e novas oportunidades aparecerão.

Salário Mínimo

O salário mínimo é o mais baixo valor de remuneração que os empregadores podem legalmente pagar a seus funcionários, pelo tempo e esforço gastos na produção de bens e serviços. Também é o menor valor pelo que uma pessoa pode vender sua força de trabalho.

Apesar de existir em praticamente todos os países do mundo, há diversas opiniões sobre suas vantagens e desvantagens. Os defensores dizem que ele aumenta o nível de vida dos trabalhadores e reduz a pobreza.

Os opositores dizem que, se for alto o suficiente para ser eficaz, ele aumenta o desemprego, especialmente entre os trabalhadores com pouca produtividade (devido à inexperiência ou deficiência), prejudicando, assim, os trabalhadores menos qualificados em benefício dos mais qualificados.

Salário Maternidade

O salário-maternidade é um direito também da trabalhadora doméstica, previsto no artigo 7º, inciso XVIII e parágrafo único, sendo que a dispensa imotivada obsta ao recebimento do benefício, pois a Previdência Social paga o salário-maternidade.

O salário-maternidade é pertinente, cabível a todas as seguradas empregadas, às autônomas, às empregadas domésticas, contribuintes individuais, facultativas e seguradas especiais, por ocasião do parto, inclusive do natimorto, do aborto não criminoso, da adoção ou guarda judicial para os mesmos fins

O nascimento ocorrido a partir da 23º semana de gestação, inclusive em caso de natimorto, é considerado como parto.

Segurada desempregada

Para a criança nascida ou adotada a partir de 14/06/2007, o beneficio também será cabível à segurada desempregada (empregada, trabalhadora avulsa e doméstica), para a que cessou as contribuições (contribuinte individual ou facultativa) e para a segurada especial, desde que o nascimento ou a adoção tenham ocorrido dentro período de manutenção da qualidade da segurada.

A segurada desempregada terá direito ao salário-maternidade nos casos de demissão antes da gravidez ou - caso se a gestação tenha ocorrido enquanto ainda estava empregada, desde que a dispensa tenha sido por justa causa ou a pedido.

Duração do benefício

O benefício será pago durante 120 dias e poderá ter início até 28 dias antes do parto. Se concedido antes do nascimento da criança, a comprovação será por atestado médico; se posterior a ele, a prova será a Certidão de Nascimento.

A duração do benefício será diferenciada nos casos especificados abaixo.

Nos abortos espontâneos ou previstos em lei (estupro ou risco de vida para a mãe), será pago o salário-maternidade por duas semanas.

À segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança, é pertinente o recebimento salário-maternidade durante os seguintes períodos:

- 120 dias, se a criança tiver até 1 ano completo de idade;

- 60 dias, se a criança tiver de 1 até 4 anos completos de idade;

- 30 dias, se a criança tiver de 4 até completar 8 anos de idade.

No caso de adoção de mais de uma criança, simultaneamente, a segurada terá direito somente ao pagamento de um salário-maternidade, observando-se o direito de acordo com a idade da criança mais nova.